O temporário é uma ameaça ao efetivo?

Segundo especialistas, trabalhador apenas ajuda a desafogar a demanda, mas a comparação entre o desempenho de ambos é inevitável.  Para ser demitido, basta estar empregado. Essa ideia apavorante, apesar de não ser divulgada aos quatro ventos no ambiente de trabalho, muito provavelmente está incutida na mente dos profissionais. Afinal, quem não passou pela desagradável surpresa de ser demitido “da noite para o dia”, deve conhecer alguém que viveu a situação.

Parece controverso falar em demissão em época massiva de contratações para as festas de fim de ano. Mas e após esse período, quando o movimento no comércio varejista cai e milhares de temporários são efetivados? A permanência deste trabalhador na empresa pode significar a demissão do colaborador efetivo?

Segundo a coach Daniela do Lago, mestre em Administração com foco em Comportamento Organizacional, o efetivo não deve considerar o trabalhador temporário uma ameaça. “O temporário é um propulsor. Está ali para gerar mais energia na empresa.”

Daniela ressalta, contudo, que quando a performance do efetivo deixa a desejar, os resultados do temporário ficam evidentes, o que pode motivar uma demissão. “O temporário tem três meses para mostrar seus resultados. Não há tempo de olhar para picuinhas. Consequentemente a produtividade dele irá bem.”

“Escolha de Sofia”
Em setembro, a expectativa da Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e Trabalho Temporário) era de que a efetivação de trabalhadores temporários seria de 29%, o que representa 42 mil vagas de emprego. Com a desaceleração da economia, a estimativa caiu para 20% em novembro – menos de 30 mil vagas.

Paulo Buchsbaum, consultor e autor de “Negócios S/A – administração na prática” (Cengage Learning, 2011), afirma que a comparação entre o desempenho do efetivo e do temporário é inevitável. A substituição daquele por este, portanto, é uma realidade, mas as empresas são relutantes em admitir.

Todavia alguns sinais indicam ao efetivo que algo não vai bem. “Em geral, ele nota que está sendo preterido, que os clientes não chegam nele, que a gestão não se volta para ele. É como se estivesse sendo deixado de lado. Existe algo no ar”, diz Buchsbaum.

Para a empresa, entretanto, o consultor ressalta que se trata de uma “escolha de Sofia”. “De um lado demite-se um profissional conhecido, que tem bastante tempo de casa. Do outro, tem-se um profissional cheio de gás, mas não se sabe se essa energia é de curta duração.”

Recomendações aos efetivos
Especialistas consultados pelo Empregos.com.br dão conselhos ao colaborador efetivo de como melhorar a performance ou o relacionamento com o temporário nesta época do ano.

  1. Veja o trabalhador temporário como uma força que irá desafogar a demanda de trabalho. A mão-de-obra não é suficiente, por isso você precisa da ajuda dele.
  2. Reveja sua performance. Talvez você esteja alcançando suas metas iniciais, mas já pensou no próximo passo?
  3. Tenha iniciativa. Não espere seu chefe ou colega sugerir algo novo, faça você mesmo. Tenha consciência do seu papel dentro da empresa e cumpra-o.
  4. Aprenda com os outros. Você não pode achar que é uma ilha. Por mais experiência adquirida, você não sabe tudo. Busque aperfeiçoamento.
  5. Faça um autoexame ou busque conselhos com amigos experientes e de confiança. A crítica construtiva contribui para o crescimento pessoal e profissional.
  6. Tenha uma relação de cooperação com os seus pares. Contrariando alguns especialistas, o consultor Paulo Buchsbaum diz que a competitividade interna é um alerta para as empresas. “Bons profissionais podem ser desligados por causa dos carreiristas. O temporário jamais deve ser visto como competidor. Em um ambiente cooperativo todos ganham.”

Fontes: Daniela do Lago, coach; Paulo Buchsbaum, consultor e autor de “Negócios S/A – administração na prática” (Cengage Learning, 2011).

Sobre ideaconsultoria
Somos uma empresa que atuamos nas áreas de Gestão da Qualidade, Gestão de Pessoas e Gestão Estratégica. Trabalhamos com: - Método PDCA; - FMEA; - Ferramentas da Qualidade; - Programa 5S; - ISO 9001; - ISO 14001; - OHSAS 18001; - SGI; - Elaboração de Plano de Ação; - Assessoria e consultoria ao PGQP; - Relatório de Gestão PGQP; - Planejamento Estratégico; - BSC; - Desenvolvimento de Equipes; - Desenvolvimento de Lideranças; - Integração de Novos Colaboradores; - Entrevista por Competência; - Avaliações Psicológicas; - Gestão de Clima Organizacional; - Endomarketing; - Avaliação de Desempenho; - Remuneração variável; - Plano de Carreira. Acesse nosso site www.ideaconsultoriaeassessoria.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: